Sindicatos

Liberdade de aderir a um sindicato

A Constituição angolana garante a liberdade de associação. Afirma que todos os trabalhadores têm a liberdade de criar organizações sindicais para defender os seus interesses colectivos e individuais. As associações sindicais têm o direito de defender os direitos e interesses dos trabalhadores e de exercer o direito ao diálogo social, que deve ter devidamente em conta os direitos humanos fundamentais dos indivíduos e das comunidades ea capacidade real da economia, lei. A lei regula a fundação, filiação, federação, organização e encerramento das associações sindicais e garante a sua autonomia e independência face aos empregadores e ao Estado.

O Direito Geral do Trabalho também prevê a liberdade de associação e o consequente direito de organização e exercício da actividade sindical como direitos fundamentais dos trabalhadores.

A Lei Sindical regula o direito de constituir sindicatos e estabelece que o direito de associação dos trabalhadores é garantido aos trabalhadores sem qualquer discriminação, o direito de constituir sindicatos e o livre exercício das suas actividades de acordo com a Constituição. Os sindicatos são organizados e conduzem negócios em conformidade com as leis e os princípios democráticos e com total independência do Estado, partidos políticos, organizações religiosas, agências, organizações, empregadores e todos os grupos sem natureza sindical.

A eleição para os representantes dos sindicatos é feita através da votação na Assembleia Geral dos membros. A aprovação dos estatutos é feita por voto directo e aberto na Assembleia Geral dos membros. Os estatutos dos sindicatos podem, a qualquer momento, ser revistos e alterados de acordo com o procedimento estabelecido.

Fonte: Artigo50 da Constituição de Angola 2010; Artigo 7 (1) da Lei Geral do Trabalho (nº 7/15, de 15 de junho de 2015); Artigo4-17 da Lei de Sindicatos de 1992

Direito á liberdade de negociação colectiva

O Direito Geral do Trabalho inclui o direito de negociação coletiva entre os direitos relacionados ao direito ao trabalho.

De acordo com a Lei Sindical, os sindicatos exercem o direito à negociação coletiva de acordo com as disposições legais e asseguram o cumprimento da legislação trabalhista e dos acordos coletivos vigentes e denunciam as violações dos direitos dos trabalhadores.

Fonte: Artigo 50 da Constituição de Angola 2010; Artigo 7 (1) da Lei Geral do Trabalho (nº 7/15, de 15 de junho de 2015); Artigo 01 da Lei de Sindicatos de 1992

Direito á Greve

Os empregados têm o direito de recorrer à greve nos termos da Constituição e da Lei de Greve. A Constituição angolana assegura o direito dos trabalhadores à greve. A Lei Geral do Trabalho inclui o direito de greve entre os direitos relacionados ao direito ao trabalho. A Lei de Greve regula a forma de exercício do direito de greve.

A Lei relativa à greve regula o procedimento para a abertura de uma greve e determina as restrições ao direito de greve. Os trabalhadores em greve não podem ser transferidos nem despedidos, de acordo com esta Lei.

As greves só podem visar os interesses económicos, sociais e profissionais dos seus membros. Os trabalhadores estão livres para participar individualmente ou não participar da greve. Os trabalhadores não podem ser objecto de discriminação nem de forma alguma ser afectados, nomeadamente nas suas relações com o empregador ou os seus direitos sindicais, em virtude de participar ou não participar numa greve legal.

Os trabalhadores são livres para declarar greve após um período de 20 dias de negociação que não chegar ao acordo. A assembleia de trabalhadores ou o órgão sindical, conforme o caso, comunica sua decisão de greve à empresa e à autoridade governamental pertinente com pelo menos três dias de antecedência. A declaração de greve deve conter os fundamentos e os objetivos da greve; Uma indicação das instalações, serviços e categorias profissionais abrangidos pela greve; Uma indicação dos delegados da greve, nomeados ou eleitos; E a data e hora de início da greve.

Para garantir a eficácia da greve ou a proteção das instalações e do equipamento, os grevistas podem formar linhas de piquete, que operarão fora dos limites do local de trabalho para proteger. Os trabalhadores em greve não devem impedir que os trabalhadores que não aderiram à greve trabalhem ou usem intimidação ou violência sob pena de responsabilidade penal nos termos da lei.

Durante a greve, os sindicatos e os empregados são obrigados a assegurar os serviços necessários para a segurança, proteção e manutenção de equipamentos e instalações. Os trabalhadores em greve são proibidos de entrar e permanecer dentro dos locais de trabalho cobertos, exceto para os trabalhadores que não se juntaram à greve, delegados de greve e aqueles que estão envolvidos nas operações de reparação e manutenção de equipamentos e instalações.

Durante o período de notificação, enquanto a greve durar e até 90 dias após a sua conclusão, o empregador não pode transferir ou demitir os trabalhadores em greve, exceto por razões disciplinares nos termos da legislação trabalhista. Os delegados da greve não podem ser transferidos ou despedidos senão por razões disciplinares, de acordo com a legislação trabalhista, por um ano após o término da greve.

O direito à greve é ​​proibido às forças militares e militarizadas; força policial; Detentores de cargos de soberania e promotores públicos; Agentes penitenciários estaduais e trabalhadores; Trabalhadores civis e instalações militares; e bombeiros.

A greve é ​​considerada ilegal e punível se a greve tiver outros objetivos além dos permitidos pela lei.

Fonte: Artigo51 da Constituição de Angola 2010; Artigo 7 (1) da Lei Geral do Trabalho (nº 7/15, de 15 de junho de 2015); Lei n. ° 23/91, de 15 de Junho de 1991

Legislação sobre sindicatos

  • Lei Geral do Trabalho (n.º 7/15, de 15 de Junho de 2015) / General Labour Law (No. 7/15 of 15 June 2015)
  • Constituição de Angola 2010 / Constitution of Angola 2010
  • Lei de Sindicatos de 1992 / Trade Union Act 1992
  • Lei n. ° 23/91, de 15 de Junho de 1991 / Strike Law (No. 23/91 of 15 June 1991)
loading...